DIVULGA CIÊNCIA

Valorizando os periódicos brasileiros através da divulgação científica

Novos Artigos – Estudo avalia o preparo de agentes de saúde para tratar tuberculose

Por Carolina Medeiros, repórter e pesquisadora do Divulga Ciência
Publicado na revista eletrônica de jornalismo científico ComCiência

Um estudo publicado na Revista de Saúde Pública da USP testou o nível de conhecimento de agentes de saúde em relação ao diagnóstico e tratamento da tuberculose. Foram analisadas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Natal (RN), Cabedelo (PB), Foz do Iguaçu (PR), São José do Rio Preto (SP) e Uberaba (MG). revista saude publica usp

A pesquisa, feita em 2011, envolveu 1.037 profissionais e avaliou os seguintes fatores: a capacitação para diagnosticar a doença, o acesso aos registros médicos dos pacientes, o material para a realização de exames e tratamento, a articulação com outros setores de saúde e o envolvimento dos profissionais com o tratamento.

A capacitação dos profissionais foi o item com desempenho mais baixo na avaliação, e apenas 56% deles foram considerados aptos para identificar e diagnosticar corretamente a doença.No que diz respeito ao acesso a instrumentos de registros dos pacientes, 72% dos profissionais atestaram ter essa condição. Já no caso dos índices de envolvimento com o atendimento e a articulação com outros níveis de atenção, os valores apontados pelo estudo são de 84,2% e 85,8%, respectivamente.

O índice com melhor desempenho foi o de disponibilidade de insumos (92,2%). No entanto, a pesquisa destaca que essa quantidade não foi suficiente para garantir que todos os serviços de saúde dispusessem dos materiais necessários ao tratamento da tuberculose. Em muitos postos, a quantidade de vacinas é inferior ao número de crianças que precisam ser vacinadas.

Essa é a realidade de cidades como Imperatriz, no interior do Maranhão. Desde novembro do ano passado, os estoques da vacina Bacillus Calmette-Guérin (BCG) caíram pela metade em todas as 42 UBS. Sua aplicação é indicada para todas as crianças quando completam um mês.

bacilo de koch

Bacilo de Koch, espécie de bactéria patogênica na família Mycobacteriaceae, e o agente causador da maioria dos casos de tuberculose. (Crédito: Instituto de Ciência)

Atentos a isso, os pesquisadores também fazem a ressalva de que o número de mortes por tuberculose não deve ser associado apenas aos fatores observados na pesquisa. Condições ambientais, de saúde e higiene, e falta de vacinação na infância, por exemplo, são fatores externos que podem influenciar nas estatísticas.

É o caso do estado de Rondônia, que registrou em 2012 o maior índice proporcional de mortes em decorrência da doença no país. Com a cheia do Rio Madeira, muitas pessoas ficaram desabrigadas e alojadas em lugares pequenos e sem ventilação, o que pode ter contribuído para a maior contaminação. O município de Porto Velho apresentou os maiores índices de tuberculose em todo os estado, com mais de 300 casos no ano. Entre 2009 e 2014, foram diagnosticadas com a doença 2,179 mil pessoas.

Embora os índices pareçam preocupantes, o Ministério da Saúde defende que o país tem avançado. Segundo dados do ministério, ao longo dos últimos 10 anos, houve queda de 20% no número de casos. Ou seja, enquanto em 2003 registravam-se 44 casos para cada 100 mil habitantes, em 2013 foram uma média de 35 casos para cada 100 mil habitantes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: