DIVULGA CIÊNCIA

Valorizando os periódicos brasileiros através da divulgação científica

Novos Artigos – Aleitamento materno está associado a menor risco de obesidade infantil

Por Bruno Vaiano, publicado na Agência Universitária de Notícias

Estudo realizado em seis escolas de um pequeno município de 8 mil habitantes do interior de Minas Gerais permitiu a coleta de dados nutricionais de crianças de padrões socioeconômicos distintos e o mapeamento da relação entre a amamentação e a obesidade. Karen Marianne Soares Caldeira, mestre em ciências da saúde pela Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, foi a responsável pela pesquisa. “O crescimento da incidência de obesidade infantil no Brasil é algo que sempre me preocupou. No nosso país já temos metade da população adulta com algum grau de excesso de peso”, diz a pesquisadora ao justificar o interesse pelo tema.

aleitamento

Estudo identifica relação entre aleitamento exclusivo e obesidade infantil. Crédito: Ken Hammond/USDA

Nascida em Minas, Karen optou por uma cidade diminuta pela possibilidade de acessar, dentre os residentes no local, praticamente todas as crianças na faixa etária escolhida. Aproximadamente 20% habitavam a zona rural, uma parcela um pouco mais alta que a da média nacional (15%).

A pesquisadora colheu, além de dados básicos para o cálculo de indicadores de obesidade, como o IMC, variáveis como alimentação atual da criança, dados da mãe (idade, estado nutricional e escolaridade), situação de trabalho atual e no nascimento da criança e localização da residência. “Desta forma, eu conseguiria também realizar um diagnostico nutricional daquela população”, afirma.

Essas considerações extras não só permitem angariar mais informações sobre o perfil nutricional do grupo como são pontos de apoio, que viabilizam considerações mais precisas sobre a influência do fator analisado em relação a outros: são as chamadas ‘variáveis de controle’. “O consumo atual pelas crianças de lanches uma ou mais vezes por semana associou-se com a presença de excesso de peso na infância”, por exemplo.

Após a análise comparativa, foi diagnosticada uma clara relação entre o aleitamento exclusivo por seis meses ou mais e a localização das crianças em sua faixa de peso ideal. A média de crianças com sobrepeso na cidade, 9,6%, superou a média nacional de 7%. Já o aleitamento complementado, que envolve outras fontes de nutrientes (líquidas ou sólidas), não exerceu influência sobre os resultados.

É importante lembrar que os resultados estão circunscritos à população estudada. Pesquisas semelhantes poderiam resultar gerados distintos conforme as características de outros grupos.

O artigo completo está na última edição do Journal of Human Growth and Development, disponível no portal de revistas da USP.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 20 de maio de 2015 por em Novos Artigos e marcado , , , , , , , , , , , , , , .
%d blogueiros gostam disto: